Curtir no Facebook

GOLEIRO MARCOS ANUNCIA SUA APOSENTADORIA EM 2012

Maior ídolo do Palmeiras nos últimos 30 anos, o goleiro Marcos decidiu encerrar a carreira profissional, aos 38 anos. Dezenove deles dedicados ao Alviverde paulista. Dedicação que deverá garantir ao goleiro um busto na alameda localizada na sede social do clube, que possui homenagens a três ídolos palmeirenses que, como Marcos, só defenderam o Palmeiras como profissionais: Junqueira, Valdemar Fiúme e Ademir da Guia.

Relembre cinco momentos marcantes da carreira do goleiro, que ficará marcado na história do futebol brasileiro como titular na conquista do pentacampeonato mundial em 2002 e como um grandes símbolos de um dos principais clubes do país.
Reserva entra e decide
O ano 1999 foi marcante para Marcos. O arqueiro, então com 25 anos, virou titular da meta do Palmeiras durante a Libertadores, assumindo o posto no lugar de Velloso, contundido. E, com a camisa 12, foi um grandes responsáveis pela conquista do título. Nas quartas de final, diante do Corinthians, fez belas defesas nos dois jogos e pegou o pênalti cobrado por Vampeta na disputa de penalidades máximas.
Defesa que valeu como título
O jogo não era uma final. Mas ficou até mais marcado para muitos palmeirenses do que a decisão da Libertadores do ano anterior diante do Deportivo Cáli (Colômbia). Nas semifinais da edição de 2000, Palmeiras e Corinthians ficaram frente a frente para decidir qual brasileiro seguiria na briga pelo título. E Marcelinho Carioca ficou frente a frente com Marcos na disputa de pênaltis. Na décima cobrança. As nove anteriores foram convertidas. Mas quando Marcelinho ficou diante de Marcos, foi diferente. O goleiro pulou no canto direito e espalmou a bola chutada pelo camisa 7 corintiano. Uma defesa sempre lembrada pelos palmeirenses.
Se aquela bola entra…
Ronaldo e Rivaldo foram os grandes nomes da Seleção na conquista do quinto título mundial do Brasil, na Coreia do Sul e Japão. Mas Marcos também teve papel muito importante para o pentacampeonato mundial. A defesa na final contra a Alemanha, espalmando para a trave um chute de Neuville, em cobrança de falta, quando jogo ainda estava empatado em 0 a 0, até hoje não é esquecida – e lamentada – pelos alemães.
Os craques também erram
Nem só momentos felizes marcam a carreira de um campeão. Com Marcos não foi exceção. E uma piores noites da longa trajetória do arqueiro ocorreu em 23 de abril de 2003. Na terceira fase da Copa do Brasil, o Alviverde recebeu o Vitória no Palestra Itália. E Marcos teve uma série de lances infelizes, falhando em três gols e ainda furando a bola de forma incrível na jogada que gerou o sétimo gol do time baiano. Apesar da atuação ruim, o goleiro não fugiu na responsabilidade nem da imprensa. E assumiu seus erros e a má atuação.
Mito São Marcos revive
Em 12 de maio de 2009, uma das grandes atuações do goleiro. Contra o Sport, nas oitavas de final da Libertadores de 2009, o camisa 12, aos 36 anos, ele teve uma exibição histórica, realizando belas defesas durante o tempo normal e defendendo três cobranças na disputa de pênaltis. A fama de pegador de penalidades máximas de São Marcos estava mais viva do que nunca.

Postar um comentário

0 Comentários